Desfaz da minh'alma o novelo...



Nem sei se arpas tenho, perto deste novelo,
Que desenrolo na direcção do sol-posto,
Lentamente… (como se faz uma canção)
“Sabe Deus porque tenho aspas, em mim”

Sendo de finos fios e branco cabelo,
Faz um som, que em mim ralha e dói,
Como um barco parado, pedindo abate
sabendo que existe e o mar cresce, cresce

Não sei se harpas tenho, no cabelo,
Ou se é o destino, mostrando o caminho
Lento, sem rede que leva da alma, o poente
Que parece que volta, mas não volta.

Nem sei que alma das minhas chora,
A do novelo de lã, que desenrola
lentamente ou a do vento que traz
Uma canção de arpas, que o meu coração

Desfaz...desfaz da lã, o novelo…


Jorge Santso (09/2014)

Sem comentários:

tradutor

center>

Arquivo do blogue