Por uma outra ...






E eu deixei meus olhos 
Sobre a mesa, que são
Doze a contar do centro,
Os meus dedos que dizem

Quem sou não, pauso
A minh'alma na pele
E admito ter deixado
De morar em mim

E morro no que deixei 
Por entre os dedos,
Ou seja um amor inteiro
Por habitar, suponho

No centro que a mesa 
Tem, um céu doce...
Doze olhos meus
Que deixei no campo,

No entanto, a contar
Me perco e na pele 
Dos seios seus serei
Boca, Onde deixei

Meus olhos não ando,
Nem mando este 
Coração lá passar, 
passando no que sinto

Por uma outra,
Uma-outra-mesa
Ou tampo antigo
D'altar...


Jorge santos (0372016)
http://namastibetpoems.blogspot.com


Sem comentários:

tradutor

center>

Arquivo do blogue