Já nem sei que ou quem




Já nem sei que ou quem sou
Eu e quem sei não ser, se eu,
Ou eu, sem um "se" em mim, sem fim,
Já nem sei o que sei, se sei ou não

Sei, que saber não sei, se em mim,
Ou se a mim sou sincero ou minto,
Quem sou, subtil quanto um adicto,
Fraco e pouco nem sei que ou quem,

Menos sei quem sou que uma abóbora
Redonda e dura por fora, por dentro
Polpa e semente, se minto quem sou
Lamento, se culpa tenho e o conceito 

De culpa, por saber tão pouco de mim
Próprio, impostor ou sombra doutro,
Ou doutros "ses", como eu sou se sou,
Abóbora ou figo laranja ou amarelo, 

Poeira ou frouxo paramento, rasgo
Na bandeira, porém já velha também
Como minha alma que dialogava comigo
À sexta-feira, já nem sei o quê ...



Jorge Santos (01/2017)
http://namastibet.blogspot.com

Sem comentários:

tradutor

center>

Arquivo do blogue