Tudo acaba aonde começou...





Tudo acaba aonde começou,
Uma brisa, uma frase, um caminho,
Uma tarde, uma esperança, um voo…
Só não lembro de onde venho

Talvez do mundo do fim de tudo,
Com seus azuis palácios e o que reste
Da canção com que certa mãe embalou…
Tudo acaba onde começou,

Meu coração pairando mudo,
Sem lembrar quem eu sou,
Se das terras do fim do mundo,
Onde tudo começa e aonde ele acabou.

Será que, também surdo eu sou,
Já que da voz de minha mãe,
Nem percebo sequer o recado,
Nem na brisa rosada da tarde,

Que dizem ter a voz que de “Deus vem”.
Se tudo acaba onde começou,
Que se me acabe desde logo a razão
Pois meu absurdo coração, nem caminho,

Nem país tem, é parte sal e fel,
Parte castanho mel como qualquer nação
Onde se misture a dor dos que cá estavam
Com a dos que nem de lá são.

Tudo acaba aonde começou



Jorge Santos (08/2014)

5 comentários:

Graça Pires disse...

A propósito do seu poema lembrei-me do poeta que diz: "A terra de onde venho é onde moro. O lugar de onde sou é estar aqui"...
Abraço.

Jorge Santos disse...

Não me digam mais nada senão morro
aqui neste lugar dentro de mim
a terra de onde venho é onde moro
o país de que sou é estar aqui.

Não me digam mais nada senão falo
e eu não posso falar eu estou de pé.
De pé como um poeta ou um cavalo
de pé como quem deve estar quem é.

Aqui ninguém me diz quando me vendo
a não ser os que eu amo os que eu entendo
os que podem ser tanto como eu.

Aqui ninguém me põe a pata em cima
porque é de baixo que me vem acima
a força do lugar que for o meu.

José Carlos Ary dos Santos

Graça Pires disse...

Obrigada, amigo, por me lembrar o poema inteiro do poeta Ary dos Santos, que citei de cor...
Abraço.

Vieira Calado disse...

A minha 1ª visita, creio.
Gostei do que li.
Saudações poéticas!

Carmen disse...

Bellísimo poema, felicidades.

Un abrazo.

tradutor

center>

Arquivo do blogue